Vendas de Beauty & Personal Care da Unilever crescem 0,3% no primeiro trimestre

Vendas de Beauty & Personal Care da Unilever crescem 0,3% no primeiro trimestre
Volume avançou 0,7% e equalizaram uma queda de 0,5% nos preços


As vendas de beleza e higiene pessoal da gigante de bens de consumo Unilever, permaneceram flat no primeiro trimestre deste ano. As vendas da divisão, a maior da companhia, avançaram 0,3% no período quando comparado ao primeiro trimestre de 2019, para 5,3 bilhões de euros. O leve crescimento é resultado de um aumento no volume de vendas de 0,7%, que suplantou um impacto negativo nos preços dos produtos vendidos de 0,5%. De acordo com a Unilever, o crescimento em categorias chave foi impactado tanto pelo consumo quanto pelos estoques domésticos, movimento que ajudou a turbinar as vendas.

A categoria de limpeza de pele, um negócio que gera cerca de 5 bilhões de euros em vendas anuais para a Unilever nas quais estão inclusas os sabonetes, o crescimento foi da ordem de um digito médio, puxado pelo aumento na demanda por produtos de higiene para impedir a propagação do Covid-19. A marca de sabonetes antibactericida Lifebuoy, foi lançada em 43 novos mercados. A Unilever disse que tem trabalhado rapidamente com suas marcas para expandir a gama de produtos e apoiar a resposta à pandemia. A categoria viu aumento tanto no consumo quanto na estocagem desses produtos nos lares.

Nas categorias de cuidados com a pele, desodorantes e cabelos, que somadas representam vendas de 14 bilhões de euros anuais para a Unilever, a Unilever viu aumento nas vendas para estocagem nos lares, mas, também uma diminuição no uso desses produtos pelos consumidores. Em cuidados com a pele, a empresa viu sua marca Carver ser impactada pelas restrições nas viagens, bem como o lock-down imposto na Índia. A marca Vasenol, seguem com bom desempenho, crescendo um digito médio e lançamentos de sucesso como o creme antibacteriano para as mãos no Reino Unido e a nova linha Pro Derma Clínical na China. Os desodorantes também cresceram um digito médio, com forte desempenho das linhas Rexona Clinical e Dove. O Brasil também foi um destaque na venda de desodorantes no período. O negócio de cabelos cresceu nos EUA, mas as medidas de lock-down impactou o portfólio da companhia na China e na Índia

O portfólio da Unilever Prestige, que engloba marcas como REN Skincare, Dermalogica e Kate Somerville, foi fortemente impactado pelo fechamento dos canais especializados em beleza em muitos mercados e pela queda no consumo dos produtos dessa categoria. A divisão responde por 600 milhões de euros em vendas anuais para a empresa.

O negócio de higiene bucal, avaliado em 1,5 bilhão em vendas ao ano, o crescimento foi puxado pelo aumento da estocagem desses produtos, por cremes dentais naturais e escovas de bambu.

Considerando todos os negócios, as vendas da Unilever no período ficaram no mesmo nível do primeiro trimestre de 2019. No período a receita doi de 12,4 bilhões de euros. Os mercados desenvolvidos cresceram 2,8%, enquanto os países emergentes apresentaram queda nas vendas de 1,8%. Na América Latina, o crescimento alcançou 4,9% , sendo 3,1% oriundos de preço e 1,7% de volume. O impacto da pandemia nos resultados da região no trimestre foram limitados, com, um pequeno impacto positivo do aumento de estocagem no final de março. Entretanto, a empresa destacou a situação desafiadora e a desvalorização de moedas na região como um fato negativo.

Sobre o novo cenário, Alan Jope, CEO da Unilever, destacou como incertezas geradas pela pandemia, a progressão do vírus, a duração da crise, que vai variar de país para país, a escala e o impacto das medidas governamentais e o efeito das mudanças nas tendências de consumo no longo prazo. Mas Jope apontou também algumas certezas, entre elas, os impactos de curto prazo nos hábitos de consumo, a importância de dar respostas ágeis e a necessidade de manter uma posição de caixa e liquidez forte.
}

Comentários ()