Primeira empresa de cosméticos do Brasil dedicadas exclusivamente ao público alérgico, Alergoshop completa 21 anos

A Alergoshop, empresa especializada em produtos hipoalergênicos e que previnem as alergias, comemora o seu 21º aniversário neste mês de setembro. A marca, criada em 1993 pelas irmãs Sarah (na foto, à direita) e Julinha Lazaretti, foi a primeira no país a de dedicar exclusivamente entender as reais necessidades das pessoas alérgicas.

A empresa nasceu de uma necessidade. Marina Monaco (à esquerda na foto), filha de Sarah, na época com três anos de idade, sofria muito com as alergias de pele e respiratórias, cujos tratamentos só eram possíveis com artigos importados e muito caros. Com um investimento inicial de R$ 7 mil na época, as irmãs buscaram no mercado internacional linhas de produtos naturais, capas antiácaros, acaricidas e alguns cosméticos. Em apenas um ano, a marca iniciou a fabricação própria desses ítens e firmou seu nome de vez no mercado.

Hoje, a empresa conta com mais de 50 itens de fabricação própria e possui 10 diferentes linhas de produtos que incluem cosméticos, capas antiácaro, desodorantes, hidratantes, protetores solares, repelentes, produtos de limpeza, espaçador, desumidificador, umidificador purificadores de ar entre outros. Em 2012 a empresa decidiu apostar no mercado de franquias e hoje conta com quatro unidades franqueadas, sendo três no estado de São Paulo e uma em Vitória (ES).Do pequeno estabelecimento, no bairro de Pinheiros, em São Paulo, a empresa se expandiu e hoje conta com nove lojas no total, sendo cinco franqueadas e quatro próprias. A Alergoshop dedica anos de estudo para criar e adaptar seus produtos de forma que não prejudiquem o ser humano e a natureza. Além de hipoalergênicos, os cosméticos da empresa não possuem parabenos (conservantes) e outras 105 substâncias nocivas à saúde e não são testados em animais.
“Outro grande diferencial da Alergoshop é que, para garantirmos um produto de qualidade e realmente seguro, fazemos todos os testes necessários que o produto hipoalergênico exige, possuímos os laudos de laboratórios e aprovados pela Anvisa”, afirma Marina, que está com 24 anos e trabalha no departamento de marketing da empresa.

Com faturamento de R$ 7 milhões ao ano, a Alergoshop pretende expandir cada vez mais o número de produtos com quantidades cada vez menores de substâncias com potencial sensibilizante. Entre os principais itens comercializados destacam-se maquiagens, esmaltes, cosméticos, capas antiácaro e até produtos de limpeza.
“Hoje, o que vemos é um público cada vez mais esclarecido e questionador. Por isso, fomos além de oferecer produtos hipoalergênicos, passamos a desenvolvê-los sem potencial nocivo à saúde. Isto é, não utilizamos matérias primas que possam vir a causar câncer ou outros malefícios aos usuários, como por exemplo os parabenos e alumínio”, finaliza Sarah Lazaretti, sócia diretora da empresa.
 

}

Comentários ()

Vídeo em Destaque

VEJA TODOS OS VÍDEOS

Blogs

Tags