AYA GAME PROMOVE COMPORTAMENTO ANTIRRACISTA NAS ORGANIZAÇÕES

AYA GAME PROMOVE COMPORTAMENTO ANTIRRACISTA NAS ORGANIZAÇÕES

Cocriado pelo coletivo HubMulher e Arbache Innovations, o game já está no ar

e pode ser jogado gratuitamente.

Em função do racismo estrutural, instituições dos setores público, privado e não-governamental

são perpassadas por conceitos discriminatórios, materializando o racismo institucional.

No entanto, essas são as mesmas organizações que têm papel essencial na inclusão de

processos de redução da desigualdade racial.

O uso de ferramentas gamificadas na educação sobre os direitos humanos é uma forma

inovadora, leve, interativa, divertida, responsável e escalável de se materializar os Objetivos de

Desenvolvimento Sustentável (ODS) preconizados pela ONU, provocando reflexões do âmbito

individual para o coletivo, em prol de uma cultura de acolhimento à diversidade.

O AYA Game, dedicado ao enfrentamento do racismo institucional, busca a sensibilização e

conscientização sobre diferentes discussões, acessos e oportunidades entre pessoas pretas e

brancas nas organizações. A compreensão dessas diferenças é um importante caminho para o

ajuste de processos de equidade.

Ao educar stakeholders e shareholders para a adoção de comportamentos antirracistas é

possível aproximar organizações e ODS 4 (Educação de Qualidade), 5 (Igualdade de Gênero),

8 (Emprego Digno e Crescimento Econômico), e 10 (Redução das Desigualdades).

“Para superar o racismo que estrutura nossa sociedade são necessárias diversas medidas

corporativas como diagnósticos, indicadores de acompanhamento, avaliações periódicas,

conscientização da força de trabalho sobre o tema, além do envolvimento de todos os níveis de

liderança. Ou seja, não basta que não sejam racistas, é preciso que as organizações sejam

antirracistas”, diz Janaina Gama, black huber.

Idealizado no modelo de open innovation, o AYA Game é resultado de uma cocriação

entre o coletivo HubMulher - liderado pelo Grupo de Trabalho das Black Hubers - e a

Arbache Innovations. O projeto conta também com o apoio do Pacto Global, Instituto Ethos

Associação dos Magistrados do Brasil, dentre outras organizações.

“O game foi concebido por meio das vivências pessoais, profissionais e saberes teóricos das

black hubers sobre o racismo estrutural presente na sociedade e nas organizações. Todas nós

somos estudiosas do tema e atuamos profissionalmente em atividades relacionadas diretamente

à educação para um comportamento antirracista”, continua Janaina.

“Para a definição dos conceitos presentes no game foram utilizadas obras de Silvio de Almeida,

Djamila Ribeiro e Carla Akotirene; Estatuto da Igualdade Racial - dentre outras legislações - além

de pesquisas realizadas por instituições de renome”, complementa Giszele Silva, black huber.

Já a Arbache Innovations viabilizou e coordenou o projeto compartilhando suas expertises em

ciência e inteligência artificial para processos de Recrutamento, Seleção, Treinamento e

Desenvolvimento. “Aplicamos gamificação e storytelling para testar, verificar e aprofundar o

aprendizado das pessoas, mantendo sua atenção e o processo divertido do início ao fim”, finaliza

Ana Paula Arbache, CEO da startup de tecnologia e fundadora do HubMulher.

O AYA Game tem a meta inicial de impactar mil pessoas até março de 2022, elucidando e

elevando reflexões sobre o comportamento antirracista nas organizações.

Qualquer pessoa pode acessar o jogo gratuitamente, sem a necessidade de download.

Basta apenas conexão com a internet. A classificação é livre. O AYA Game está disponível em

https://arbache.com/mundomelhor/empoderamento . Este mesmo link dá acesso à gameoteca

gratuita da Arbache Innovations para educação em Direitos Humanos.

Já as empresas que desejarem fundamentar suas tomadas de decisão em políticas ESG por

meio do jogo podem adquirir um serviço customizado, precificado conforme o número de

colaboradores que farão acesso ao game.

O AYA Game foi lançado dia 01/12/21 com uma Live no Instagram @HubMulher sobre

“Ações para desenvolver comportamentos antirracistas nas organizações”

Sobre o HubMulher:

Coletivo de mulheres dedicado a disseminar conhecimentos, legados e boas práticas em prol da

igualdade de gênero e empoderamento feminino (ODS 5), por meio do desenvolvimento de

projetos que ofereçam educação, capacitação e mentoria.

hubmulher.com

Sobre as BlackHubers:

Mulheres negras responsáveis pelos Estudos Raciais do HubMulher. Buscam avançar nas

agendas de igualdade com foco no letramento racial e ações de combate ao racismo institucional.

hubmulher.com

Sobre a Arbache Innovations:

Startup de Tecnologia signatária do Pacto Global da ONU, com enfoque nos ODS 4 e 5.

Participante do Programa Ganha-Ganha - ONU Mulheres Brasil.

arbache.com

********************************************************

Relacionamento com a Imprensa - PR4Impact

Contato: Tatiane Paixão

Relações Públicas e Huber - CONRERP2 SP/PR 2963

+55 15 98132 3848 (Celular/WhatsApp) - email: tpaixao@pr4impact.com

}

Comentários ()