Workshop Atualidade Cosmética aborda as particularidades do mercado capixaba

Workshop Atualidade Cosmética aborda as particularidades do mercado capixaba
Em mais uma edição desbravando pelo território nacional, o Workshop Atualidade Cosmética desembarcou em Vitória, capital do Espírito Santo, para um dia inteiro de propagação de conhecimento e debates acerca do mercado de beleza capixaba. 

Com a presença de diversos representantes da indústria e varejo local, o evento reuniu dezenas de pessoas, que puderam participar diretamente das apresentações e puderam conhecer ainda mais sobre tudo o que envolve o segmento cosmético no estado. 

De cara, o público foi "abastecido" com uma série de informações e tendências do canal farma. A apresentação Rodrigo Kurata, diretor da IQVIA, abordou "O momento e as oportunidades para a indústria de beleza nas drogarias". Em seguida, Ana Paula Mirabella, gerente de Marketing da Isan - companhia especializada no desenvolvimento de essências e que foi uma das patrocinadoras deste WAC -, apresentou: "Essências e suas principais características para produtos capilares".

Depois, foi a vez do primeiro painel do dia e que trouxe três influenciadores digitais do estado para debaterem sobre "Como os influenciadores digitais podem influenciar os hábitos e atitudes de uso nos produtos de beleza". O influenciador Dudu Altoé (@bumameubowie) falou sobre o categoria Masculina e o crescimento das barbearias. "Aqui (no Espírito Santo) teve esse boom das barbearias e, hoje, é um bom negócio para se investir. Vejo a barbearia como um lugar que recebe muito bem o homem de acordo com suas necessidades. Hoje também há muita variedade de produtos para a barba. Até perdi a conta de quantos itens tenho em minha prateleira", declarou ele. 

Durante esse debate, a influenciadora Jamile Scarpi (@jamilescarpi) passou sua visão sobre como é ser vista como uma "cobaia" por parte de seus seguidores. "Há seguidoras fiéis que estão ali sempre perguntando sobre determinado produto, para saber como funciona, se achamos bom, etc. E fazem isso porque confiam na gente", conta. Já Priscila Gama (@priscilagamaa) analisou a questão da quantidade de produtos que recebe para testar e falou sobre o contato direto que possui com as marcas. "Como conheço os donos de quase todas elas, eu acabo ligando diretamente para eles, para falar o que achei, se não gostei e dar sugestões", emendou, opinando que, hoje, a maior parte das companhias ainda não enxergam os influenciadores digitais como parceiros de negócios. 

Abordando o varejo capixaba, o workshop convidou José Antonio Pupim, diretor presidente da Mariah Cosméticos, para um talk show, para fazer "um bate papo com o varejo de beleza". O dirigente fez questão de ressaltar a importância de dar espaço para as marcas das empresas capixabas. "Os produtos da indústria local são muito importantes para a composição do nosso faturamento. E pela proximidade que temos com nossos parceiros, damos um atenção especial para as marcas locais", revelou.

Chegou então o momento do Painel P&D, que trouxe: "Um debate sobre a atual situação da Área de P&D das indústrias cosméticas de Vitória (ES)".  Os convidados desta área da indústria falaram sobre os desafios em comunicar para outras áreas as inovações que o P&D desenvolve. "Para isso, temos que ir a campo para ouvir as consumidoras, para trazer um pouco daquela necessidade do mercado. Fazendo isso, você fica mais calibrado para fazer os produtos", opinou Soraya Farias Carvalho Oliveira, gerente de P&D da Adcos. "O P&D precisa estar alinhado com o Marketing, que passa o que o cliente quer e o que ele vai entender com a mensagem", acrescentou Renata Camargo Frison, farmacêutica responsável da Gude Cosméticos.

"Os setores em empresas como a nossa estão sempre bem envolvidos com o processo", resumiu Kaio Bauer Gomes, diretor de P&D da Ervas Naturais. Enquanto isso, Samyra Prata, coordenadora técnica da Griffus Cosméticos, destacou que no segmento fala-se muito em inovação. "A gente que é formulador sabe quais são ingredientes, por exemplo, para se fazer um bom shampoo. Mas a nossa proposta hoje não é simplesmente vender um cosmético, sempre pensamos em trazer uma proposta e vender experiência", contornou. "Procuramos trazer uma formulação com performance satisfatória, num custo-benefício interessante, uma vez que nosso produto é popular", completou Liliany Jann Zampiroli, farmacêutica bioquímica da Biotropic.

A apresentação da cosmetóloga Sônia Corazza abriu a mente dos convidados, ao abordar "As oportunidades e desafios ao formular para os muitos cabelos do Brasil". Ela trouxe diversas particularidades do cabelo da mulher capixaba e que existe muita variedade. "E essa variedade mostra que há muitas oportunidades de negócio para a indústria", observou. Além disso, ela contou um pouco como está o cabelo das mulheres capixabas, destacando o quanto ele sofre com agressões climáticas, térmicas e químicas. "É preciso fazer produtos para os cabelos com protetor solar para uso durante o ano inteiro, pelo alto grau de exposição solar que existe no Espírito Santo", falou a profissional.

Luiz Guilherme e Reinaldo Vollstedt, perfumistas da Phytoessence Fragrâncias - outro patrocinador deste Workshop Atualidade Cosmética, trouxeram "A perfumaria e suas transformações ao longo do tempo". Mostraram exemplos de diversos perfumes históricos e clássicos, detalhando curiosidades sobre a produção e a composição de cada um deles. Também destacaram o uso de moléculas específicas e também as mudanças em termos de famílias olfativas.

Por fim, aconteceu o Painel de Líderes, trazendo representantes da indústria cosmética capixaba. Todos falaram sobre as mudanças do mercado para a rotina das companhias. Zilma Bauer Gomes, sócia-diretora da Ervas Naturais, ressaltou que trata-se de um grande desafio. "Olhar essas mudanças no dia a dia das nossas empresas. Temos muitos desafios. Esse momento de olhar para o mercado com todas as mudanças que estão acontecendo é apenas um deles", pontuou. "Apesar dos inúmeros desafios, vejo muitas oportunidades no mercado. Na Berlian, recebemos muitas empresas de diferentes nichos",  afirmou Carina Castro, proprietária e diretora industrial da terceirista Berlian, que também abordou a tendência existente no mercado masculino, citando o dado do Euromonitor que aponta o Brasil como maior mercado nesta categoria em 2019.

Enquanto isso, Sebastião Cardozo, diretor Comercial do Grupo Actus Cosméticos, indicou que o grande desafio na indústria capixaba começa pela geografia, ou seja, a logística. "Isso tanto no deslocamento para visitar cliente, como também para realizar a distribuição. Esse é um grande desafio para quem quer atuar na indústria capixaba e distribuir para todo o Brasil", lamentou. Já Malsimar Malacarne, diretor da Griffus Cosméticos, apontou que o treinamento é um desafio constante em todos os elos da cadeia. "Isso é indispensável. Outro ponto muito importante é o conhecimento. Em nossa empresa, incentivamos muito a busca disso e até financiamos isso", finalizou ele.

Compartilhe

Comentários ()

© 2012 • Cosmética News. Todos os Direitos Reservados • Desenvolvido por Index Software

Voltar ao topo